Você Sabia?  

Desenho: espelho do desenvolvimento infantil
Publicado em: 09/03/2016

 O desenho é um pilar do trabalho com a infância. Desenhando a criança mobiliza tantos processos cognitivos e motores que a atividade, lúdica e prazerosa, favorece desenvolvimentos e ainda dá pistas deles para os educadores.

IMAGEM RISCADORES

No post Repetir propostas para crianças. Será? Falamos sobre a repetição de atividades, destacando o desenho. Ao repetir o ato de desenhar a criança evolui as marcas que aprende a fazer. Lowenfeld, Piaget, Vygotsky e Luquet estudaram esse desenvolvimento e o consideraram como marcas do amadurecimento da criança.

Segundo Lowenfeld, a criança inicia o processo de desenhar fazendo garatujas ou rabiscos de forma desordenada. Em seguida, os rabiscos vão se ordenando. A prática desse rabiscar encaminha a criança para fazer formas. As formas vão gerandoas figuras humanas que são constituídas basicamente por cabeças redondas e membros que se originam dela. Essas figuras, ao longo das repetições, vão adquirindo mais detalhes e o desenho passa a evoluir na composição também.

Fases do desenho bxx - Lowenfeld

Esses estudiosos do grafismo infantil, sem exceção, reconhecem a existência de determinadas fases, etapas ou períodos que são comuns aos sujeitos em processo de apropriação do desenho como sistema de representação.

Balão Dúvida pComo incentivar e favorecer esse processo?

O ato de desenhar pode acontecer com variações que devem contribuir para a sua própria evolução.
 Combinações de com o que se desenha (os riscadores) com onde se desenha (os suportes) podem conferir ampliação e desafio aos processos.

setaAlguns riscadores:

giz de cera
giz de lousa
lápis de cor
lápis grafite
pedaços de carvão
terra
tintas
pincéis
palitos
dedos das mãos e dos pés
Etc., etc., etc.
setaAlguns suportes:

papel
papel ondulado
cartolina
lixa de parede
vidro
azulejo
espuma de sabão
areia
solo
tecidos
chão (com papel)
parede (com papel)
o ar
Etc., etc., etc…
A combinação desses elementos favorece as oportunidades de desenvolver a motricidade e o cognitivo relacionado ao ato de desenhar. É controlar os movimentos do riscador que está na mão sobre a qualidade do suporte, apreender a olhar, desenvolver a ordenação de ideias e caminhar para um raciocínio de espacialidade e simbologia daquilo que se quer produzir.
 A linguagem do desenho no grafismo infantil é um sistema de representação complexo, noqual se desenvolve a percepção de mundo, a fantasia, a criatividade, as formas de expressão, a imaginação e se registram as experiências e as emoções.

Balão Dúvida pÉ possível pensar nas variantes que as combinações de riscadores e suportes podem provocar?

E o que pensar das histórias que nasceram com este desenhar?

Logo_Carambola2No Ateliê Carambola, a pré-escola de São Paulo dirigida pela pedagoga e estudiosa Josiane Del Corso, o desenho é visto como uma linguagem que expressa pensamento: na criança pequena o movimento é a gênese do pensamento. O movimento que nasce da ação, do desejo da descoberta, do prazer do movimento, que revela um corpo em formação (…) e que precisa estar inteiro nos processos inaugurais da infância. Crescer deixa marca. A infância desenha seu processo, deixa suas marcas, marcas do gesto (Professora Viviane Cukier).

Desenho no Ateliê Carambola

No trabalho da Carambola se valoriza a experiência de desenhar com o corpo todo, em grandes suportes, como folhas de papel de rolo ou emendadas. No chão ou pendurados na parede, os suportes podem permitir e abrigar os movimentos do corpo que se debruça sobre os papeis e acompanha o riscar das mãos. São pernas que abrem e fecham no ritmo dos riscos, são balanços de cabeça, de cintura e dos pezinhos que participam do intenso processo.

O olhar do Tempo de Creche sugere que os educadores observem, leiam os desejos das suas crianças, permitam as interações do corpo e deixem a imaginação agir para combinar suportes e riscadores e repetir o ato de desenhar ao longo da educação da infância.

balc3a3o-dicaAs fotos desse post foram incluídas para inspirar atividades de desenho que repetem o ato e também o desafiam.

Leia também Desenhar, desenhar, desenhar… todos os dias!; Afinal, o que é Arte na Educação Infantil?; O que a criança faz a cada etapa do desenvolvimento; Repetir propostas para criança. Será? Josiane Del Corso: o fazer das crianças e as múltiplas linguagens.

 

barrinha colorida fininha

Balão Para Saber Mais

Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil de Edith DERDYK. (São Paulo: Scipione, 1989).

Arte Infantil de G. H. LUQUET (Lisboa: Companhia Editora do Minho, 1969).

A formação dos símbolos na criança de J. PIAGET (PUF, 1948).

Desenho & escrita como sistema de representação de Analice Dutra PILLAR.(Porto Alegre: Artes Médicas, 1996).
Compartilhe!


Fonte: http://www.tempodecreche.com.br/linguagens-expressivas/desenho-espelho-desenvolvimento-infantil/

Contato
sheilapsicopedagoga@hotmail.com
Copyright © - 2011 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Daniela Barbosa
Facebook Twitter